Cliente processa rede de farmácia por homofobia em cadastro

Um cliente de uma rede farmacêutica entrou com um processo por danos morais contra a mesma, após sofrer preconceitos e ser humilhado em razão da sua orientação sexual.

O funcionário da empresa, teria alterado o cadastro do consumidor para “gaylileu”, que passou então a receber sms de desconto com o nome alterado.

A vítima tentou reparar os fatos, indicando a farmácia a nomenclatura correta de seu nome, mas foi ignorado. Pelos fatos ocorridos, ele pediu uma indenização de 44 Mil Reais por danos morais, retratamento pela outra parte e um treinamento sobre homofobia para funcionários da rede.

As partes estiveram em uma audiência, na qual não foi possível chegar a um acordo, o que segue para julgamento.


Ver todos os posts