Juíza nega gratuidade a desempregada

A ação que tem como ré uma mulher que decidiu ajuizar uma empresa de empreendimentos imobiliários, após um contrato de compra e venda, teve seu pedido de justiça gratuita negado.

O fato se deu pela mesma, não comprovar baixa renda por meio de documentos, ao alegar ser mãe solo de cinco crianças e beneficiária do seguro desemprego.

A advogada da requerente recorreu, mas não obteve sucesso, após a juíza entender que não há obstáculos financeiros que impeçam de exercer o poder judiciário.


Ver todos os posts