Justiça nega revisão de justa causa á enfermeira

A enfermeira fazia parte da campanha de incentivo aos empregados para criarem a vacina contra a covid-19, o que consta em registros.

Segundo a trabalhadora, ela nunca exerceu tão função e possuía o cargo de técnica em enfermagem na JBS, acabou sendo dispensada por justa causa ao se recusar tomar a vacina.

A advogada da parte entrou com pedido de reversão de justa causa, alegando que a decisão de se imunizar é uma questão particular, e que a mulher jamais fez campanha contra a vacinação dentro da empresa.

A empresa por outro lado, alegou que não se vacinar é uma conduta extremamente grave, uma vez que pode colocar em risco a saúde e integridade dos demais colegas de trabalho.

A magistrada reconheceu o direito individual de escolha da funcionária, mas deu provimento ao direito de coletividade, uma vez que o empregador tem o dever de proporcionar um ambiente seguro e laboral para os demais.


Ver todos os posts