Síndrome de Burnout passou a ser doença ocupacional.

Que a pandemia causou uma revolução na cabeça de todas as pessoas isso é fato, a ponto da OMS reclassificar a síndrome de Burnout como estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso.

Isso na prática pode causar um efeito muito pesado nas decisões jurídicas em relação a estabilidade dos funcionários que retornam ao trabalho após um afastamento por esgotamento e também nas ações que as empresas estão adotando para evitar pressão excessiva nos funcionários.

Prevemos muitas ações no futuro em relação a isso caso não ocorra uma mudança em relação a competividade e pressões em alguns setores, devemos entender que na vida o equilíbrio pode ser a base dos bons resultados, investir em um ambiente de trabalho leve e com feedback entre todos será a nova tendência corporativa.


Ver todos os posts